quarta-feira, 20 de Janeiro de 2010

Regulamento Interno Escola Crescer

A Escola de Futebol Crescer é uma escola de formação desportiva, sem fins lucrativos, constituída por:

• Sócios (pais/encarregados de educação dos alunos);
• Alunos/atletas;
• Uma direcção (constituída por 5 elementos);
• Um quadro técnico constituído por um coordenador pedagógico e 4 professores/treinadores;
• Uma comissão de pais constituída por 8 elementos (2 por grupo/escalão);
• Uma psicóloga.



TAREFAS E PRINCÍPIOS DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

Específicos da direcção


1. Definir a política geral de intervenção da Escola;
2. Definir o modelo de ensino/treino a aplicar na Escola;
3. Elaborar o plano anual de actividades;
4. Assegurar os meios, acompanhar, apoiar e supervisionar a execução do plano de actividades;
5. Apresentar o relatório de actividades e de contas aos sócios.


Específicos do coordenador pedagógico


1. Acompanhar e supervisionar a realização do plano de actividades da Escola no que concerne às actividades de natureza pedagógica (actividades pedagógicas dos professores, actividades de aprendizagem dos alunos, participação em torneios e campeonatos, etc.).
2. Orientar, apoiar, coordenar e supervisionar o trabalho pedagógico dos professores/treinadores (trabalho de planificação, de leccionação e de orientação dos jogos) e responder pela qualidade desse mesmo trabalho junto da direcção da Escola.
3. Reunir com os treinadores sempre que entender.
4. Assistir e participar activamente nos treinos (observação participada).
5. Assegurar a substituição dos professores que faltarem.
6. Ouvir/falar com os pais/encarregados de educação dos alunos sobre assuntos relacionados com horários, treinos, participação e evolução dos alunos, comportamentos de aprendizagem dos alunos e de ensino dos treinadores;
7. Preparar e dirigir as “saídas” (torneios e campeonatos).
8. No final de cada época desportiva, elaborar e apresentar à direcção da Escola o relatório da actividade pedagógica da Escola.


Específicos dos professores

1. Planificar e leccionar as sessões de treino do grupo que lhe for atribuído em alinhamento com o modelo de ensino/treino adoptado/concebido pela direcção da Escola.
2. Acompanhar e controlar o comportamento dos alunos durante as sessões de treino, as “saídas” e os jogos.
3. Apresentar-se, no local dos treinos, devidamente equipados, 10/15 minutos antes da hora marcada (receber os alunos, falar com os pais e organizar as condições materiais da prática).
4. No início dos treinos, não deixar as bolas ao alcance directo dos alunos. A estes não deve ser permitido o contacto com as bolas sem a devida autorização (imagem de ordem, disciplina e organização).
5. No final dos treinos, garantir a arrumação do material, bem como a recolha de todo o material deixado pelos alunos no recinto de treino (t-shirts, kispos, garrafas de água, etc.).
6. Em caso de comportamentos de desvio persistentes dos alunos:
• 1º, conversar, em particular, com os protagonistas dos maus comportamentos;
• 2º e se necessário, conversar, em particular, com os pais/encarregados de educação dos protagonistas dos maus comportamentos;
• 3º, aplicar, se necessário, castigos proporcionais à gravidade dos maus comportamentos: a) colocar, por tempo determinado (2, 5, 10 minutos), o aluno em espaço de prática isolado dos restantes, a treinar a técnica individual ou uma capacidade motora; b) isolar, por tempo determinado (2, 5, 10 minutos), o aluno do grupo, privando-o da actividade; c) suspender, por tempo determinado (uma sessão, uma ou duas semanas), o aluno dos treinos; privar, durante um determinado tempo, o aluno de participar em convívios desportivos ou competições oficiais.
7. Recriminar seriamente e punir os alunos quando cometerem faltas intencionais que coloquem ou não em risco a integridade física dos companheiros/adversários.
8. Corrigir sempre que necessário e elogiar entusiasticamente o que é bem feito.
9. Valorizar e elogiar as acções dos guarda redes e de todos aqueles que jogam em funções mais defensivas.
10. Promover a rotação de todos os alunos pelas diferentes posições, inclusive pela baliza, de forma a que todos aprendam a cumprir diferentes funções e tarefas.
11. Nos torneios internos e nos convívios desportivos:
• Por regra, todos os alunos devem jogar o mesmo tempo (distribuir equitativamente o tempo de jogo por todos os alunos). No entanto e durante os campeonatos distritais, os alunos mais utilizados nos jogos destes campeonatos deverão jogar menos tempo que os menos utilizados;
• Realizar uma rotatividade dos alunos pelas diferentes posições do sistema de jogo utilizado para que todos cumpram diferentes funções e tarefas;
• Relativizar a importância dos resultados, valorizando mais a atitude, o empenho, o esforço e a superação individual e colectiva;
• Estimular os alunos a cumprimentar os companheiros e o treinador aquando das substituições;
12. Nos jogos dos campeonatos distritais devem jogar, por norma, os mais aptos.
13. Durante os jogos, abster-se de “comandar” a tomada de decisão dos atletas, evitando estar constantemente a gritar ordens (vai, passa, etc.) para dentro do campo. É importante dar espaço aos atletas para desenvolverem a capacidade de decisão um função da percepção que eles próprios tiverem das situações momentâneas de jogo. Por isso, as intervenções dos treinadores durante os jogos devem apenas centrar-se nos grandes princípios de jogo (espaço, concentração, recuperação, pressão, transição em segurança, etc.).
14. No início e no final de todos os treinos e de todos os jogos, incentivar os alunos a cumprimentar os companheiros, os adversários, os treinadores e os árbitros.
15. Nos treinos e nos jogos, após a marcação de um golo, incentivar o autor do golo a cumprimentar e a agradecer ao companheiro que contribuiu de forma significativa para a criação da situação de finalização.
16. No final de cada período lectivo, fazer uma análise/avaliação de cada aluno, através do preenchimento de uma ficha de avaliação.
17. Estar disponível para falar com os pais/encarregados de educação dos alunos, sempre que estes o solicitem com alguma antecedência, antes ou depois do horário das sessões de treino (nunca durante as sessões de treino).


Específicas dos alunos


1. Apresentar-se, no local dos treinos, 5 minutos antes da hora marcada devidamente equipados com:
• Sapatilhas/chuteiras devidamente apertadas;
• Caneleiras;
• Calção/calça desportiva;
• T-shirt/camisola desportiva;
• Sem adornos (relógios, anéis, brincos, etc.).
2. Cumprimentar o treinador e os colegas no início e no final dos treinos.
3. Após a marcação de um golo, cumprimentar e agradecer ao companheiro que fez a assistência ou contribuiu de forma significativa para a criação da situação de finalização.
4. Pedir desculpa aos colegas/adversários sobre os quais cometeu falta dura/grave.
5. Antes e depois dos treinos, colaborar com o treinador na montagem e arrumação do material.
6. Ir pelas bolas que pontapear para fora do campo depois de avisar e ter a autorização do treinador.
7. Nunca abandonar o local dos treinos sem a autorização do treinador.


Específicas dos pais/encarregados de educação


1. Levar e ir buscar os filhos ao local dos treinos às horas marcadas (a assiduidade e a pontualidade são factores determinantes do sucesso).
2. Apoiar sempre, e acompanhar sempre que possível, os filhos na actividade desportiva (competições e treinos), mas sem os pressionar e sem se intrometer no trabalho dos atletas, dos treinadores e dos árbitros.
3. Encorajar a ajudar os filhos a respeitarem as regras e o espírito desportivo (pontualidade, assiduidade, disciplina, asseio, respeito pelos companheiros, pelos adversários, pelos árbitros e pelos treinadores)
4. Valorizar e elogiar, acima de tudo, o esforço realizado e os progressos conseguidos (mesmo que ligeiros).
5. Ter um comportamento respeitador e comedido em todos os momentos, procurando:
• Não interferir no trabalho dos treinadores;
• Não controlar de perto os filhos quer durante os treinos, quer durante os jogos;
• Não ditar/gritar ordens, instruções ou reprimendas aos filhos durante os treinos ou competições;
• Não discutir com os árbitros, treinadores e pais de outras crianças;
• Não comentar publicamente, ou em casa na presença dos filhos, de forma depreciativa, o comportamento de jogadores, de treinadores, de árbitros e de outros pais;
• Não valorizar excessivamente os resultados desportivos alcançados (positivos ou negativos).


Específicas da comissão de pais

1. Representar os sócios/pais/encarregados de educação junto da direcção da Escola.
2. Apresentar à direcção da Escola críticas e sugestões que contribuam para um melhor funcionamento da Escola.
3. Colaborar com a direcção e o coordenador técnico da Escola na organização das saídas, assumindo, nomeadamente, a responsabilidade pelo transporte dos atletas nas saídas dos campeonatos distritais e a responsabilidade pela marcação do alojamento e alimentação dos pais/acompanhantes nas saídas prolongadas.
4. Colaborar com a direcção da Escola na angariação de fundos (patrocínios).
5. Propor e organizar actividades/convívios recreativos e sociais (festa de natal, festa de encerramento, jogos de futebol entre pais, etc.).

Sem comentários:

Enviar um comentário